Assim que a pandemia da Covid-19 começou, em janeiro deste ano, o Ministério das Relações Exteriores (MRE) instituiu um plantão consular para emergências no âmbito da Secretaria de Assuntos de Soberania Nacional e Cidadania (SASC). O Sinditamaraty concorda com o plantão por conta da situação sanitária no mundo todo. No entanto, o Sindicato quer entender se as condições legais e fáticas existentes na época da instituição do plantão permanecem válidas.

Para isso, o Sinditamaraty enviou ofício ao Chefe da SASC, embaixador Fabio Mendes Marzano, para saber se os direitos dos servidores submetidos ao plantão estão sendo respeitados. Especialmente, porque recentemente “a equipe destacada para viabilizar o plantão foi sensivelmente reduzida, assim como o número de telefones destinados ao atendimento, ao passo que as ligações recebidas pelo meio do número disponibilizado deixaram de ser emergenciais e começaram a ter caráter de tira-dúvidas”, diz o presidente João Marcelo Melo, em ofício.

O objetivo da indagação à SASC é garantir a saúde física e mental do servidor, assim como o melhor ambiente de trabalho. Assim, o Sindicato aguarda reposta da Secretaria.

Confira a íntegra do ofício

Acessar
x
x
x